Terça-Feira, 16 de Outubro de 2018

Política
Quinta-Feira, 09 de Agosto de 2018, 11h:14

TETO DE R$ 39,3 MIL

Reajuste do STF é herança maldita para futuros governadores

Governos terão que honrar aumentos para magistratura estadual, conselheiros dos tribunais de contas, teto dos servidores públicos e ministérios públicos estaduais

Redação com Agências

Caso a proposta dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de elevar seus salários dos atuais R$ 33.763,00 para R$ 39.293,32, seja aprovada pelo Congresso Nacional, vai gerar impacto de R$ 4 bilhões nas contas públicas.

O rombo foi estimado por consultorias da Câmara e do Senado Federal, considerando o efeito cascata no Executivo, Legislativo, Ministério Público e também os estados da federação.

Como fica:

R$ 717 milhões no Judiciário
R$ 258 milhões no Ministério Público
R$ 400 milhões no Executivo
R$ 2,629 bilhões nos estados (magistratura estadual, conselheiros dos tribunais de contas, teto dos servidores públicos e ministérios públicos estaduais)

Para o economista e secretário-geral da ONG Associação Contas Abertas, Gil Castello Branco, essa proposta é um "acinte", um ato de "irreponsabilidade fiscal", pois a meta de déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar os juros da dívida pública) é de R$ 139 bilhões no ano que vem.

Pior para os estados

Os governos estaduais são os que mais sofrerão com o efeito cascata. Já com problemas para honrar o pagamento dos servidores e o duodécimo para os Poderes, verão a conta aumentar. Os novos governadores ficarão com a herança maldita.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO