Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2017

Política
Domingo, 26 de Novembro de 2017, 09h:37

CADA LEI CUSTA MAIS DE R$ 3 MILHÕES

Produtividade da ALMT é pífia em relação ao alto custo para o contribuinte

Cícero Henrique

ALMT

o ranking das Assembleias Legislativas do país, a ALMT ocupa a penúltima posição em produtividade. No extremo da baixa produtividade estão MT, PA, BA e RS. As leis aprovadas pelas suas respectivas casas legislativas são em número muito inferior às de outras de orçamento similar. As informações são do levantamento realizado pelo cientista político Leonardo Sales, mestre em economia do setor público pela UNB(Universidade de Brasilia), que coletou informações sobre as 26 Assembleias Legislativas.

De acordo com a pesquisa as Assembleias Legislativas do Pará e Mato Grosso apresentaram pouco ou nenhuma produtividade e consequentemente tem muitos gastos desnecessários, considerando dias úteis com sessões ordinárias, quantidade de leis por deputado, percentual do PIB comprometido com o legislativo, custo por habitante.

Os dados revelam que o custo de cada lei aprovada pelos deputados mato-grossenses é superior a R$ 3 milhões.

 

preço da lei

 

Em Mato Grosso os deputados estaduais recebem a maior verba de gabinete  do país, com gastos de até 65 mil reais por mês relativos ao mandato. Mais que o dobro do que no DF, que por sinal tem mais que o dobro em PIB per capita do que o MT

Outro indicador de produtividade da atividade legislativa é a proporção de sessões ordinárias realizadas em relação aos dias úteis do ano. Veja:

Dias úteis por sessão

 

 Ranking final do Índice Geral de Eficiência (IGE)

Ranking Geral das Assembleias

 

 Goiás, Espírito Santo e os demais estados que iniciam o ranking destacam-se pelo volume de leis criadas e pelo “baixo custo”, considerando os gastos relativamente ao número de habitantes ou IDH. Já as assembleias com baixíssimo índice, como RS, RR, MT e PA, apresentam pouca produtividade e muito gasto

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO