Domingo, 18 de Novembro de 2018

Política
Terça-Feira, 11 de Setembro de 2018, 13h:10

MODUS OPERANDI

Palocci confirma que Lula e Dilma atuaram diretamente na negociação de propinas

Segundo Palocci, Lula teve um "delírio político" após a descoberta do pré=sal

Redação com Agências

Reprodução

Em depoimento em junho ao Ministério Público o ex-ministro de Lula e Dilma, Antônio Palocci, declarou que ambos atuaram diretamente na negociação e recebimento de propinas.

Após a descoberta do pré-sal o ex-presidente Lula da Silva entrou em um "delírio político", segundo Palocci. "O presidente Lula começa também a se descuidar da parte legal da sua atuação como presidente e passa a atuar diretamente no pedido de propina", declarou Palocci.

Lula atuou diretamente na negociação da compra de caças franceses e também na operação dos fundos de pensão e na usina de Belo Monte, pois "sabia que a partir desse investimento e desse projeto haveria pedido de propina", declarou o ex-ministro.

"O presidente chegou a assinar um protocolo, um contrato com o presidente francês Nicolas Sarkozi, no dia 7 de setembro. Eu lembro que era 7 de setembro porque o presidente francês veio pras comemorações do 7 de setembro, e passou a madrugada inteira com o presidente Lula, ministro da Defesa, e saiu dessa reunião de madrugada com um documento assinado pelos dois presidentes sobre a compra de caças Mirage, a compra de helicópteros e a compra de submarinos franceses. Uma iniciativa completamente inadequada, porque estava sendo conduzido tecnicamente pela área da Defesa e foi atropelado por ambos os presidentes, da França e do Brasil e isso gerou todo tipo de propina. Então não foi só na sonda", declarou.

Sobre a ex-presidente Dilma Rousseff, Palocci afirmou que ela agia como Lula. "Em relação aos fundos ela foi igual ao presidente Lula, ela insistia, inclusive usava muito que aquilo era uma ordem do presidente Lula e ela fazia reuniões com os fundos na Casa Civil e forçava a barra pros fundos investirem", afirmou Palocci.

As defesas de Dilma Rousseff e Lula disseram que Palocci mente, que ele não apresentou provas e que, na esperança de sair da prisão, insiste em elaborar narrativas para agradar os algozes.

No dia  de novembro Antônio Palocci será ouvido pelo juiz da 10ª Vara Federal, Vallisney de Souza, no processo que investiga irregularidades na compra dos caças suecos durante o governo Dilma Rousseff.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO