Segunda-Feira, 25 de Março de 2019

Política
Quinta-Feira, 21 de Fevereiro de 2019, 08h:51

VAGA NO TCE

Deputados e desembargadores são corresponsáveis por ascensão de Maluf ao TCE

Jô Navarro

Montagem/Caldeirão News

Se o Tribunal Pleno tivesse aprovado o afastamento do deputado Guilherme Maluf no dia 14 de fevereiro, ele conseguiria vencer a disputa na ALMT para ser indicado ao carga de conselheiro de contas do TCE-MT? Dificilmente.

Foram 9 votos favoráveis ao afastamento e 9 contrários. Coube ao presidente Carlos Alberto o voto de Minerva, contrário ao afastamento.

O TJMT e os 11 deputados que votaram em Guilherme Maluf no Colégio de Lideres são corresponsáveis por sua ascenção ao cargo vitalício de conselheiro de contas, equiparado ao de desembargador. O voto secreto protegeu os apoiadores do deputado/réu e colocou todo o legislativo sob suspeição, com exceção dos deputados Ulysses Moraes (DC) e Janaina Riva (MDB), que mostraram o voto em outro candidato.

Réu

O Tribunal acolheu por unanimidade, no dia 14, a denúncia do NACO/MPE contra Guilherme Maluf no âmbito da Operação Rêmora.

O relator, desembargador Rondon Bassil, destacou que Guilherme Maluf consta como integrante do núcleo de liderança da organização criminosa e também tentou embaraçar as investigações. Para o relator, as declarações de Giovane Guizardi anexadas à denúncia, deixam evidente a tentativa de intimidação por meio de ameaça e obstrução da investigação.

Se não houver contestação judicial da indicação do deputado, os mato-grossenses terão que 'reverenciar' o novo conselheiro. A arguição no Plenário e eleição será realizada já na próxima terça-feira (26) durante sessão ordinária.

Veja abaixo a manifestação da deputada Janaina Riva durante a reunião da CCJ na noite de ontem (20), quando declarou que a certidão apresentada por Guilherme Maluf era "uma fraude". Após a vitória de Maluf no colégio de líderes, a deputada afirma que respeita a decisão da maioria.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO