Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018

Política
Sábado, 13 de Outubro de 2018, 14h:08

ELEIÇÕES 2018

Custo do voto: Mauro Mendes x Jair Bolsonaro; Nelson Barbudo x Emanuelzinho

Redes sociais são as ferramentas mais efetivas e baratas para campanhas eleitorais

Jô Navarro

Montagem - Caldeirão News

De acordo com dados disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a campanha de Mauro Mendes (DEM), eleito governador em Mato Grosso, custou quase quatro vezes mais que a de Jair Bolsonaro, de âmbito nacional.

Enquanto Mauro Mendes investiu pesado na produção de vídeos para os programas eleitorais na TV, Bolsonaro iniciou visitando algumas cidades, se reunindo com lideranças locais. Depois de ser esfaqueado e quase perder a vida no dia 6 de setembro em Juiz de Fora, durante um ato político, ficou afastado dos debates na TV e passou a realizar transmissões ao vivo (Live) no Facebook.

Sem utilizar sequer um cartaz com seu nome e número, servindo-se de uma mesa, smartphone e um bico de luz improvisado em sua própria casa, o candidato a Presidente da República Jair Bolsonaro tornou-se um fenômeno nas redes sociais, onde pode falar à vontade com seus eleitores, usando uma linguagem informal. Ele conseguiu fazer de cada eleitor um cabo eleitoral.

Caldeirão Político

Custo do voto

 

Divulgação

Nelson Barbudo

 

Na mesma linha o candidato a deputado federal Nelson Ned Previdente, o Nelson Barbudo (PSL), produtor rural, foi o campeão de votos em Mato Grosso - 126.246 votods. Com patrimônio declarado de menos de R$ 3 mil, desbancou campanhas caras de políticos conhecidos. Sua fórmula foi a mesma de Jair Bolsonaro, usando as redes sociais de modo inteligente e eficaz. Barbudo também teve apoio declarado de Bolsonaro, o que contribuiu para sua ascenção. Contratou despesas no valor de R$11.665,66, integralmente pagas. O custo de cada voto, considerando as despesas contratadas, foi de R$0,092. 

Divulgação

 

Divulgação

Emanuelzinho

 

Barbudo conquistou mais votos do que Emanuel Pinheiro da Silva Primo (Emanuelzinho, filho do prefeito de Cuiabá), que obteve 76.781 votos e recebeu R$1.330.000,00 de partidos, além de R$63.900,00 em doações de pessoas física, contratou despesas no valor de R$1.732.191,45 e pagou até o momento R$1.177.160,21. O custo por voto da campanha de Emanuelzinho, com base nas despesas contratadas, foi de R$22,56.

O segundo mais votado para deputado federal em Mato Grosso foi José Medeiros (Podemos), cujos votos custaram R$12,25 cada. Ele contratou despesas no valor de R$ 1.1011.176,94 e pagou até agora R$ 938.476,94.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO