Sábado, 07 de Dezembro de 2019

Mato Grosso

Sábado, 30 de Novembro de 2019, 11h:30

ESQUEMA PARA CASSAR VEREADOR

EXCLUSIVO: Denunciante cita festa, amante de Emanuel e compra de votos para cassar vereador

Abilio Junior chamou o delegado delegado Lindomar Toffoli, mas ele disse que as informações eram insuficientes para deflagrar operação

Cícero Henrique

Arquivo pessoal

Cuiabá - O vereador Abilio Junior, alvo de processo de cassação de mandato na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, registrou Boletim de Ocorrência relatando todos os fatos desde que começou a receber denúncias da informante Elizabete Maria de Almeida.

O Caldeirão Político teve acesso aos prints das mensagens entre o vereador Abilio e Elizabete na madrugada em que acontecia uma festa na casa do vereador Juca do Guaraná.

Nas mensagens Elizabete revela que o prefeito Emanuel Pinheiro chegou ao local, menciona uma amante dele chamada Cláudia e diz que o prefeito estava "bêbado" e tinha um "masso" (sic) de dinheiro, que distribuiu para os vereadores presentes. Ainda segundo as mensagens enviadas (veja abaixo), o dinheiro foi recebido por eles com a frase "viva Abílio" e reclamaram que "era pouco".

Emanuel no Belvedere.jpg

 

Na festa estavam (segundo consta nos prints) os vereadores Ricardo Saad, Chico 2000, o dono da casa Juca do Guaraná e ainda o ex-vereador Ralph Leite. Oseas Machado e Toninho de Souza 'iam chegar'.

O vereador Abilio Junior revelou no Boletim de Ocorrência que chegou a telefonar para o delegado Lindomar Toffoli, pedindo que fosse até o a casa de Juca do Guaraná fazer o flagrante, mas ele alegou que as informações eram insuficientes para desencadear uma operação.

 Abilio nega insinuações de parte da imprensa

O vereador Abilio Junior negou as informações publicadas por alguns sites locais que insinuaram que ele teria 'armado' a denúncia registrada por Elizabete Maria de Almeida na Delegacia Fazendária (Defaz). Segundo algumas reportagens, a denúncia da servidora do Hospital São Benedito (HSB) seria falsa e ela poderia ser presa por isso.

"Fiquei sabendo que ela é da minha igreja na noite após a oitiva dela. Antes disso nem sabia, achava que era trote", afirmou Abilio Junior para o Caldeirão Político

Detalhe do BO

 

Entenda o caso

O ex-diretor do HSB, Oseas Machado, registrou uma representação na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar (CE) na Câmara Municipal pedindo a cassação do mandato do vereador Abilio Junior , do qual é suplente. À época em que Oseas atuava no HSB, Abilio Junior presidiu a CPI da Saúde. Na condição de presidente, empreendeu fiscalização  no HSB, recolhendo documentos e provas que resultaram na deflagração da Operação Sangria e na prisão do médico Huark Douglas, ex-diretor da Empresa Cuiabana de Saúde, dentre outros. 

Na representação à Comissão de Ética, Oseas Machado alega que funcionários foram constrangidos pelo vereador, que teria extrapolado  e 'humilhado' servidores. A CE é formada pelos vereadores Toninho de Souza (PSD, presidente), Vinícius Hungney (PP, vice-presidente), além dos membros Marcrean Santos (PRTB) e os suplentes - Ricardo Saad (PSDB), Juca do Guaraná (PT do B) e Marcelo Bussiki (PSB).  Com excessão de Bussiki, todos os demais são aliados políticos do prefeito Emanuel Pinheiro.

A testemunha de acusação Elizabete Maria foi arrolada pelo autor da representação, Oseas Machado, denunciou durante oitiva na CE, esta semana, o esquema para comprar os votos de vereadore por R% 50 mil mais 20 cargos comissionados em troca da cassação de Abilio. Ela também denunciou que a assinatura no documento de intimação para depor na CE foi falsificado e que só registrou boletim de ocorrências contra Abilio por ter sido pressionada pelo próprio Oseas Machado, quando ainda era diretor do HSB. 

A CE só entregou para Abilio Junior cópia da oitiva e documentos apresentados pela denunciantes após recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Assim mesmo os documentos foram entregues na condição de sigilo.

Enquanto Abilio Junior tem o mandato marcado pela fiscalização implacável da gestão municipal, sobretudo na área da Saúde, o prefeito e seus aliados adotaram a estratégia de tentar desconstruir sua reputação, referindo-se a ele como 'desequilibrado', 'endemoniado' e 'agressivo', segundo palavras utilizadas pelo vereador Toninho de Souza, presidente da Comissão de Ética. 

Saiba maisLíderes da Orcrim que fraudou Saúde confessam e ganham liberdade em Cuiabá

 

BO Abilio Junior

 

Reprodução

informante print 4.jpg

 

informante print 1.jpg

 

Reprodução

informante print 3.jpg

 

Reprodução

informante print 2.jpg

 

Reprodução

Print 5

 

3 COMENTÁRIOS:

Ridícula essa reportagem, qual Político vai andar com dinheiro ao vivo a noite em Cuiabá, capital dos bandidos e assaltantes. Conta outra, essa não cola.
enviado por: Deocleciano de Abreu em 02/12/2019 às 17:04:57
0
 
0
responder
TOFOLLI, há diz td está no bolso do Mané
enviado por: Critico em 01/12/2019 às 08:57:03
0
 
0
responder
Já passou da hora de prender esses caras da casa dos horrores chame a abim e a federal pede intervenção e solícita proteção judicial
enviado por: Inhanna em 30/11/2019 às 16:06:34
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO