Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019

Mato Grosso

Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 09h:20

CUIABÁ SEM PROPINA DO PALETÓ

Entrevista: Gisela Simona, a aposta do PROS para 2020

"Vai perdendo as características de um bom gestor todo aquele que ignora a sociedade",diz Gisela sobre a gestão municipal

Cícero Henrique - Caldeirão Político

Divulgação

Gisela Simona (Pros-Cuiabá)

Ajudar os consumidores é a grande paixão da suplente de deputada federal, Gisela Simona Viana de Souza,  superintendente do Procon de Mato Grosso. Formada em Direito e servidora concursada, assumiu um papel eminentemente estratégico e que atende clientes de áreas bastante distintas.

Apaixonada pelo trabalho, não é raro Gisela Simona, 42 anos, se dedicar durante 14 ou até 15 horas de trabalho diário. “É algo tão prazeroso” (o trabalho), assume a profissional, que optou por se dedicar inteiramente à atividade profissional. Mas isso não a impede de se relacionar com desenvoltura entre representantes de diferentes grupos políticos.

Simpática, também é dona de um aguçado senso critico. Observadora crítica e atenta da cena política e econômica global, estadual e municipal, a presidente do diretório do PROS na Capital vê com otimismo os próximos meses para o Brasil. Depois das eleições municipais, acredita, empresários e investidores poderão retomar os negócios com mais desenvoltura. 

Em entrevista ao Caldeirão Político (CP), Gisela Simona discorreu sobre diversos temas relevantes.

CP – A senhora será candidata à prefeitura de Cuiabá?
Gisela Simona -  A verdade é que as eleições de 2018 acabou criando um capital político, então o fato de ter tido 12% dos votos validos, 33 mil votos na capital, então isso de fato me faz pensar no projeto, devido os eleitores que confiaram no meu nome e depositaram seu voto de confiança. Além de não concordarmos com a atual gestão, de como está sendo dirigida a Capital, fico incomodada com isso. Mas para ter uma proposta para administrar a prefeitura, precisaria assumir o Diretório do Pros na Capital, o que aconteceu. Temos trabalhado no fortalecimento do partido, saimos de 25 municípios para 75 municípios no estado, em Cuiabá teremos 28 pré-candidatos a vereadores, com serviços prestados a sociedade. Estamos construindo para elevarmos o capital político para tomarmos uma decisão com pé no chão e com muita responsabilidade.

CP- Houve convites de outros partidos para a senhora se filiar e ser candidata?
Gisela Simona - Nós tivemos lideranças de vários partidos, ora convite para sairmor do Pros, como também para compor um grande grupo para disputar as eleições à prefeitura de Cuiabá. O partido vem atraindo pessoas de direita e esquerda e lideranças de diversas legendas como PDT, PT, SC, Podemos, que se aproximaram para um diálogo para construir uma proposta para Cuiabá.

CP-  Qual o principal gargalo hoje na gestão do atual prefeito?
Gisela Simona - Vejo dois gargalos bem pesados, erros de estratégias, primeiro a questão da saúde pública, com relação à manutenção das UPAs, da falta de seringas e luvas, itens básicos para os profisssionai da saúde, além do transporte público que afeta o dia a dia dos trabalhadores, falta de transparência de gestão, são problemas que precisam ser resolvidos para o bem da população.

CP - O Pros terá muitas candidatas na disputa para a Câmara de Vereadores de Cuiabá?
Gisela Simona - Dentro do estudo do limite de 38 candidatos, vamos ter no minimo de 30% de mulheres para fomentar, meu sonho é contrário, gostaria de ter 70% de mulheres e 30 de homens sem nenhuma discriminação, mas no sentido de fomentar a participação feminina na política, por que homens e mulheres juntos fazemos um município mais plural. É lamentável hoje na Câmara não ter nenhuma vereadora. Preciamos mudar esse cenário, nesse contexto o Pros vai vir com um grupo forte de 12 a 15 mulheres para disputar as eleições em 2020.

CP -  A senhora vem estudando os graves gargalos da atual gestão?
Gisela Simona - Tenho me dedicando muito, felizmente através dos órgão como TCE, órgão de transparência, tive acesso ao Plano Plurianual, estamos fazendo um levantamento do que foi feito e ainda das obras que sem execução, que e estão paradas na capital, obras que deveriam ser projetadas ou estão abandonadas. Acredito que Cuiabá não precisa de projetos mirabolantes para ser a boa cidade que queremos para viver, ela precisa que o básico seja executado de forma transparente e que o cidadão seja bem atendido.

CP – Caso abra uma vaga na Câmara Federal a senhora desistirá de disputar a prefeitura de Cuiabá?
Gisela Simona -  A resposta é dificil, Tudo depende da vontade da população, hoje tenho os votos para deputada federal, tenho a primeira suplência. Agora, a candidatura para a prefeitura de Cuiabá vai depender de um estudo de viabilidade, o que a população quer e o que será construido lá na frente.

CP – A senhora apoiaria o prefeito Emanuel Pinheiro? Negociaria um cargo com ele para apoiá-lo?
Gisela Simona – Não, de forma alguma. O único veto do Pros já deliberado é uma aliança com o atual prefeito.

Cícero Henrique/Caldeirão Político

Gisela Simona

Gisela Simona (Pros-Cuiabá)

CP- Como senhora avalia as denúncias contra o prefeito em relação à propina do paletó? Além da Câmara fazer de tudo para protegê-lo?
Gisela Simona - É um cenário de muita decepção, por que minimamente se espera de um gestor público resposta rápida as estas situações, o gestor deve estar preparado para responder e dar uma resposta para a população.O gestor público tem que estar preparado para responder, como ele não responde, ignora a sociedade. Vai perdendo as características de um bom gestor todo aquele que ignora a sociedade. Peca muito a gestão municipal. Independente dos processos, porque tem um inicio e fim. A situação pior ainda é a da Câmara de Vereadores que tem o dever legal de investigar, uma CPI não está acusando, está investigando para saber o que de fato aconteceu. Eu tinha uma admiração pelo presidente do legislativo cuiabano, vereador Misael Galvão, foi total decepção sua falta de postura legal de investigar o prefeito.

CP - E se Misael Galvão for vice de Emanuel?
Gisela Simona - Eu vejo, na verdade, que a pessoa vêm perdendo até as opções. Porque no passado se via Misael como candidato a reeleição. Hoje isso já é duvidoso, na minha visão, com quem converso, com as pessoas nas ruas, hoje é duvidoso porque se perdeu a credibilidade. O caminho para sua reeleição está bem prejudicado.
 
CP – A senhora acredita em renovação nas eleições 2020?
Gisela Simona – Nas eleições de 2020 com certeza vai ter renovação, a população quer algo novo, com requisitos de moralidade e compromisso com a ética, a transparência e credibilidade.

CP – E o Judiciário?
Gisela Simona - Ainda vai ter um passo grande. Porque o judiciário ainda não foi diretamente atingido por essa vontade maciça da população. Tem muita coisa parada no Judiciário que poderia andar. Tem muita impunidade que tem feito políticos se aproveitarem dessa situação. Mas o momento é de inicio de depuração.

CP - Caso seja eleita prefeita de Cuiabá, qual seria sua prioridade?
Gisela Simona - É necessário fazer uma grande mudança em relação a gestão. Durante os primeiros 90 dias temos que estabelecer mecanismos de controle, para ter a real situação de desperdicio e falta de material para saúde, porque é um ato prioritário. A falta de controle tem gerado um alto custo para a população.

Eu não tenho padrinho, tenho a vontade popular

CP - Não tem receio de ser preterida pelos caciques?
Gisela Simona – Isso pode acontecer por que não tenho padrinho, diferente de outras pessoas que têm as costas protegidas por algum padrinho na política. Eu não tenho isso, tenho a vontade popular. Acredito que se hoje falam no meu nome é por que tenho apoio das pessoas, e isso me dá coragem e força para fazer a diferença e mudar uma situação caótica no município.

CP - O Pros vai ser arrastado pelos outros partidos?
Gisela Simona – Estamos fortalecendo o partido, conversando internamente para transformar diretórios para ter autonomia, para não servirmos de massa de manobra para este ou aquele candidato. Por isso, estamos construindo uma candidatura.

CP - A senhora aceitaria ser vice?
Gisela Simona – Hoje não penso nisso, embora não queira ser arrogante. Temos que estar muito abertos para avaliar o cenário, se tiver um nome que está em melhor situação e mais bem avaliado não tem nenhum problema. Por conveniência, que outro tem dinheiro e um partido maior, eu não aceito.

CP – A senhora não vai fugir de um debate?
Gisela Simona - Claro que não. Estou me preparando por que se for confirmada a candidatura vou estar preparada para transmitir meus conhecimentos em Cuiabá e também aprender mais por essa terra maravilhosa.

CP – Sem colocar a campanha na rua, a senhora já vem sendo atacada. Qual sua opinião sobre isso?
Gisela Simona - Exatamente, bastante. Quem fala isso desconhece o meu trabalho e do Procon. Nós vivemos hoje a CPI da Energisa, alguns têm dito que sou omissa e que estou fazendo palanque. O Procon tem um trabalho, por lei , com o objetivo em atender as reclamações e resolver os conflitos, quando não é resolvido é preciso aplicar as multas. Quem tem o poder de fiscalizar os procedimentos das empresas, temos outras empresas como a Ager, Ipem, Aneel, do ponto de vista federal. Na CPI teremos condições de mostrar tudo que foi feito desde 2015 em relação a Energisa. A gente participa de forma contundente quando somos convidados e convocados.
Não dá para responsabilizar o Procon, pelo contrário, talvez o único órgão que vem se posicionando a favor da sociedade é o Procon.

CP - A senhora foi ouvida pelos veiculos de comunicação que a criticaram em relação à Energisa?
Gisela Simona – De forma alguma. Aí que a gente fala do jornalismo que não fala a verdade, que não é sério. Minimamente porque deveriam ter perguntado o que foi feito. Se não tivesse nenhum dado aí teria que ficar quieta, mas diante de uma informação inveridica, colocada sem pré pergunta nem posterior, isso é muito grave.

CP - Há muitas reclamações contra a Energisa?
Gisela Simona – Sim. De 2018 a 30 de setembro de 2019 foram 19.615 reclamações e processos instaurados contra a Energisa no Estado. A empresa é a primeira no ranking de reclamações no estado de Mato Grosso.

CP – Qual a missão do Procon nesse caso?
Gisela Simona – A missão é abrir o processo e tentar resolver. Resolvemos 60% das reclamações. E as nossas multas vão desde 300 reais a 3 milhão de reais. Temos multas de 3 milhões de reais em desfavor da Energisa desde sua vigência.

4 COMENTÁRIOS:

Não aguenta 10 minutos de debate com qualquer candidato minimamente conhecedor de Cuiabá. A saúde é muito maior do que luva! O grande problema é a contratualização das empresas prestadoras de serviço. Estuda Dra! Vai passar vergonha.
enviado por: Rosana em 22/10/2019 às 21:30:28
0
 
0
responder
Cuiabá Merece Mais.. Todos com Gisela Simona por uma Cuiabá Melhor! Mulher honrada gente da Gente.. Guerreira e Batalhadora.. Fez muito por Mato Grosso como Superintendente no PROCON.
enviado por: Davison Dantas em 21/10/2019 às 15:14:06
0
 
0
responder
Cuiabá clama por alguém como a querida superintendente do PROCON, Gisela Simona está mais do que preparada pra assumir a prefeitura da nossa querida cuiabá, o PRÓS MT está mais forte do que nunca. Vamos que vamos que 2020 já começou.
enviado por: Élis Rodrigues em 21/10/2019 às 11:00:31
0
 
0
responder
Gisela vai com tudo com garra como você sempre fez! 2020 é teu!!!
enviado por: Polliana em 21/10/2019 às 10:50:06
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO