Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019

Nacional
Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019, 11h:52

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

Vereadores repudiam projeto que eleva salário de Emanuel Pinheiro para 32 mil reais

Projeto deverá entrar na pauta de votação até a próxima terça-feira (22).

Cícero Henrique

Reprodução

José Luiz Pacheco, presidente do Sinafit, esteve nesta manhã no plenário da Câmara Municipal de Cuiabá para defender o projeto de autoria dos sindicatos que visa aumentar o salário do prefeito da Capital em R$ 7 mil.

A justificativa do sindicalista é que não há lei válida vigente sobre o subsídio do Prefeito e isso causa insegurança jurídica para o pagamento do salários dos demais servidores públicos municipais.

O projeto ainda não foi protocolado, por isso a íntegra do texto não foi ainda divulgado. O sindicalista foi à Câmara a convite do vereador Adevair Cabral.

Segundo o presidente da Câmara Municipal, Misael Galvão, o projeto deverá entrar na pauta de votação até a próxima terça-feira (22).

Em resposta, o vereador Abilio Junior reagiu: "Não confunda coragem com falta de vergonha na cara! é falta de vergonha na cara aumentar salário do prefeito e falar que vai beneficiar servidor público. É falta de vergonha na cara do pacheco de vir aqui fazer esse discursinho. é falta de vergonha na cara querer um salário superior a 25 mil reais. O governador ganha 20 mil reais de salário, o prefeito já ganha 25 mil reais".

Abilio Junior defendeu a regularização dos salários considerando o teto vigente, não com aumento de 7 mil reais, o que elevaria o salário do prefeito a 32 mil reais. Ele questionou a resistência da prefeitura com relação ao pagamento da Reposição Geral Anual, de R$ 125, para os agentes comunitários de saúde.

O vereador Lilo Pinheiro também repudiou a proposta de aumento de salário do prefeito. "A nota da Câmara de Cuiabá não me representa e já aviso que vou votar contra este aumento". Ele questionou a legitimidade do aumento de 7 mil reais para servidores que já ganham 25 mil.

Em aparte o vereador Wilson Kero Kero registrou que também votará contra o aumento. Os vereadores Diego Guimarães também antecipou voto contrário ao projeto.

O vereador Marcrean disse apoiar a regulamentação do teto, desde que a categoria dos agentes de saúde seja atendida antes.

Já nas explicações pessoais, o vereador Abilio Junior registrou a suspeita de que a prefeitura tenha vazado dados dos contribuintes do IPTU para empresas de comunicação que estão enviando SMS exaltando a performance de Emanuel Pinheiro em uma recente pesquisa de opinião. "Essa propagandas começaram a ser enviadas de números de fora de Mato Grosso para contribuintes do IPTU. Temos a suspeição: que a prefeitura de Cuiabá vazou os dados cadastrais de cidadãos cuiabanos para empresas de comunicações que estão fazendo militância virtual e campanha antecipada", disse o vereador.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO