Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019

Geral
Sexta-Feira, 11 de Outubro de 2019, 12h:12

TEATRO INFANTIL

Teatro Faces está na programação especial do CCBB São Paulo

Divulgação

Os artistas do Teatro Faces estão em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil, no Centro Histórico de São Paulo. Todo fim de semana até o dia 20 de outubro, eles encenam a peça “Pedro Malasartes e o Couro Misterioso”. Em ambiente descontraído, a plateia paulistana desfruta da produção teatral mato-grossense.

Partindo de Primavera do Leste (a 239 km de Cuiabá) eles ocupam a área externa do centro cultural, aos sábados e domingos, sempre às 15h30. A entrada é gratuita.

O grupo passou por uma curadoria rigorosa do jornalista e crítico infantil Dib Carneiro Neto. E celebra o fato de ter sido uma das quatro companhias escolhidas para representar a produção teatral brasileira voltada ao público infantil. Divididos por períodos – eles estrelam temporada marcada por série de apresentações na primeira edição da MirimM – Mostra Nacional de Teatro para Crianças Grandes e Pequenas.

Além da mato-grossense Teatro Faces, as companhias convidadas são da Bahia, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O CCBB divulga a mostra como uma oportunidade de a plateia conhecer um panorama da produção das artes cênicas voltada a crianças que estão fora da capital paulista.

“Pedro Malasartes e o Couro Misterioso”, a exemplo, revisita o ambiente dos rincões de Mato Grosso, realçando o valor da honestidade e como a ganância pode ser perigosa.

A produção bebe na fonte da cultura popular, aproximando a estética do grupo à commediadell'arte. “O que promete chamar muito a atenção do público que estiver passando pela rua no momento da peça”, descreve a curadoria.

O impulso para produção da peça, conta o diretor artístico da companhia, Wanderson Lana, veio do pai, José Messias Lana. “Um contador de histórias por vocação”, se orgulha. Segundo ele, foi o pai quem lhe contou sobre Pedro Malasartes pela primeira vez.

“E foi então, que em 2011 surgiu o espetáculo. Foi bastante motivadora a reação do público quando nos apresentamos no Cine Teatro Cuiabá. Agora, nos vemos em um momento muito especial”, diz Lana. A companhia, por sua vez, foi criada em 2005.

O roteiro revela que em um reinado que se ergueu no coração do Cerrado mato-grossense, um coronel, ou melhor, um rei decide dar toda a sua fortuna aquele que descobrir de que é o couro que sempre carrega nas mãos.

Mas cria um castigo bem cruel para aqueles que errarem: eles devem ter a cabeça cortada. Pedro Malasartes, acompanhado de um grupo de desajustados com poderes e talentos um tanto quanto esquisitos, resolve aceitar o desafio para libertar todo o povo do Cerrado, mesmo com povo nenhum acreditando nele.

Lana acha que a seleção do espetáculo para uma mostra de tamanha relevância é um reflexo dos esforços que a cadeia produtiva do teatro tem desempenhado em Mato Grosso.

“Sempre acolhemos produções artísticas de todo Brasil. Quando conseguimos ir além desses limites territoriais de Mato Grosso, o orgulho é ainda maior, pois sabemos do potencial do teatro mato-grossense. Só nos resta agarrar essa oportunidade”.

E para ele, esse espírito motivador dialoga com o conteúdo do seu espetáculo. “Pedro Malasartes também fala sobre união, sobre estar junto para vencer. Um grupo de pessoas desajustadas que desacreditadas, revelam que há mérito em ser diferente".

E sobre o espaço tão disputado e o pioneirismo do grupo na MiriM, Lana declara: “a Mostra de Teatro Mirim do CCBB é uma das grandes conquistas para o Teatro Faces que fará parte de uma importante programação da capital paulista, a primeira em uma das maiores cidades da América Latina”.

E sobre a escolha de Dib Carneiro Neto... “até nos faltam palavras”, se orgulha. O escritor que é crítico de teatro desde os anos 1990, venceu o Prêmio Jabuti em 2018, com o livro lançado pela Edições Sesc São Paulo, “Imaginai! O teatro de Gabriel Villela”. Ele divide a autoria com Rodrigo Louçana Audi.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO