Domingo, 31 de Maio de 2020

Geral
Sábado, 16 de Maio de 2020, 19h:04

PESQUISA ESTRANHA

Ministério financia pesquisa realizada por equipes do Ibope que fazem testes rápidos de covid-19

Em Mato Grosso, pesquisadores foram detidos por exercício ilegal da profissão, visto que somente profissionais de saúde podem realizar testes rápidos de covid-19

Jô Navarro

Reprodução

O Ministério da Saúde confirmou que financia pesquisa sobre covid-19 que aplicará 150 mil testes rápidos em 133 cidades.

Nos últimos dias cidadãos mato-grossenses denunciaram à Polícia a ação de pesquisadores em Barra do Garças, Cáceres, Cuiabá e Rondonópolis. Pessoas usando capotes e máscaras afirmaram estar a serviço do Ibope em uma pesquisa sobre a covid-19, coletando sangue e realizando testes rápidos.

Segundo a Polícia Civil, os pesquisadores não são profissionais de saúde e não podem realizar teste sorológico. Em Barra do Garças 15 pessoas foram detidas e a Polícia Civil lavrou auto de infração sanitária contra a empresa que os contratou, JC Pesquisa.

Durante os trabalhos, as pessoas eram submetidas a questionários sobre a doença, com fins de serem colhidos dados estatísticos e em algumas residências, foi realizada pulsão para coleta de sangue para teste rápido de Covid-19.

A pesquisa

O estudo ‘Evolução da Prevalência de Infecção por COVID-19’, financiado pelo Ministério da Saúde, é coordenado pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas que vai analisar a evolução de casos da COVID-19 na população brasileira. Ao todo, 99.750 pessoas de 133 municípios de todas as regiões do país serão submetidas ao teste rápido (sorologia), que detecta se a pessoa já teve a doença. Foram enviados 150 mil testes rápidos para viabilizar a ação.

A pesquisa incluirá três inquéritos populacionais, realizados a cada duas semanas por meio de visitas domiciliares, conduzidas por equipes do IBOPE, em 133 cidades.

Segundo a assessoria de comunicação do ministério, as Secretarias Estaduais de Saúde receberam ofício do Ministério da Saúde sobre a realização da pesquisa. A notificação também foi enviada aos Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e ao Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúdes (Conasems). As próximas etapas da pesquisa estão previstas para ocorrer nos dias 28 e 29 de maio, e 11 e 12 de junho.

Ainda segundo a assessoria, durante a pesquisa, as pessoas são entrevistadas e testadas em casa, por meio de sorteio aleatório. Se o resultado do teste der positivo, os profissionais entregam informativo com orientações e repassam o contato do participante para a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, que ficará responsável por informar as secretarias de saúde locais para acompanhamento e suporte dos casos pelos serviços saúde.

Os dados coletados servirão de base para estimar o percentual de brasileiros infectados, avaliar os sintomas mais comumente relatados, estimar recursos hospitalares necessários ao enfrentamento da pandemia e permitir o desenho de estratégias para abrandar as medidas de isolamento social.

O Ministério da Saúde não se manifestou, até o momento desta publicação, sobre a falta de qualificação dos pesquisadores. Em Mato Grosso a pesquisa é realizada em Cuiabá, Cáceres, Sinop, Barra do Garças e Rondonópolis.

CLIQUE AQUI para saber detalhes sobre a pesquisa.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO