Domingo, 18 de Novembro de 2018

Geral
Quinta-Feira, 25 de Janeiro de 2018, 08h:20

60 ANOS DA BOSSA NOVA

Bossa Nova ganha espaço em Copacabana

Nascida no Rio de Janeiro, a Bossa Nova está completando 60 anos neste 2018.

Paulo Virgilio

Divulgação

Tom Jobim e Vinicius de Moraes são os autores de Chega de Saudade, marco inicial da Bossa Nova

Segundo os historiadores da música brasileira, o movimento surgido em reuniões musicais em apartamentos da zona sul carioca teve como marco inicial para a indústria fonográfica a gravação, em agosto de 1958, por João Gilberto, da música Chega de Saudade, de Tom Jobim (1927-1994) e Vinicius de Moraes (1913-1980).

Nesta quarta-feira (24), véspera do aniversário de Tom, a Bossa Nova ganhou um espaço em Copacabana, o mesmo bairro que a viu surgir. O local da Casa da Bossa é o mesmo da Sala Municipal Baden Powell, que desde janeiro do ano passado tem como residente artístico o músico João Donato, precursor do gênero e um dos grandes nomes do instrumental brasileiro.

A iniciativa de ceder o local foi da Secretaria Municipal de Cultura. “O Rio de Janeiro precisava de um espaço onde esse ritmo tão carioca estivesse presente durante todo o ano. Afinal, a nossa música é uma das melhores atrações desta cidade”, disse a secretária Nilcemar Nogueira.

Edital de residência

Para contribuir com a formação de novos artistas, a Casa da Bossa está lançando um edital de residência artística nacional e internacional. O projeto consiste na recepção de músicos do mundo todo para classes com os músicos do Rio.

Donato será o coordenador da Casa da Bossa, que não ficará limitada às apresentações musicais. Será voltada também para a memória desse movimento musical, com exposições, além de abrir espaço para o intercâmbio cultural entre músicos antigos e novos do gênero.

“A Casa da Bossa chega à Cidade Maravilhosa para ser o espaço de referência, onde já se pode apreciar música da melhor qualidade desde que iniciamos a residência artística”, comemora Donato. Para a exposição inaugural, ele mesmo cedeu itens que marcam a sua carreira do compositor, como partituras raras, discos de 73 RPM, vinil, fitas k7, fotografias, gravações raras e filmes.

O show de abertura, na noite desta quarta-feira, reuniu João Donato e mais três grandes compositores da Bossa Nova vivos e em atuação: Carlos Lyra, Roberto Menescal e Marcos Valle.

Até domingo, sempre às 20h, passarão pelo palco o Jobim Jazz de Mário Adnet (25), o Circuito de Piano com Marcos Ariel (26), homenagem a Leny Andrade com a presença da cantora na voz de Cris Dellano (27) e Azymuth, com participação de João Donato (28).

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO