Domingo, 23 de Fevereiro de 2020

Geral
Terça-Feira, 11 de Fevereiro de 2020, 17h:38

HERANÇA EM LITÍGIO

Advogado diz que filhos de Gugu são vítimas de alienação parental

Para advogado, família de Gugu Liberato está jogando os filhos contra a mãe

Redação

Reprodução

Rose Miriam Souza Di Matteo e Gugu

O advogado de Rose Mirian, Nelson Willians, participou hoje do programa Pânico, na rádio Jovem Pan. 

Willians esclareceu que sua cliente não quer ficar com a herança de Gugu Liberato e os filhos do casal são vítimas de alienação parental.

"A família de Gugu quer um acordo? O acordo é este, ser reconhecida como companheira de Gugu, que é o que ele foi a vida inteira. Rose Mirian assinou um documento público que tudo que ela ganhar imediatamente doará aos três filhos equer uma pequena parcela de direito de  usofruto", disse o advogado.

Leia também: Gugu e Rose, uma família de fachada?

Alienação parental

A Lei 12.318 considera ato de alienação parental a interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente — promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a sua autoridade, guarda ou vigilância — para que repudie o pai ou a mãe ou que cause prejuízo ao estabelecimento ou à manutenção de vínculos com os genitores.

De acordo com a lei, são exemplos de alienação parental fazer campanha de desqualificação da conduta do genitor no exercício da paternidade ou maternidade, dificultar o exercício da autoridade parental, dificultar contato de criança ou adolescente com genitor e dificultar o exercício do direito regulamentado de convivência familiar.

A lei também considera alienação parental os atos de omitir deliberadamente do genitor informações pessoais relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço; apresentar falsa denúncia contra genitor, contra familiares deste ou contra avós, para obstar ou dificultar a convivência deles com a criança ou adolescente; e mudar o domicílio para local distante, sem justificativa, visando dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, com familiares deste ou com avós.

 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO