Domingo, 20 de Janeiro de 2019

Cidades
Quinta-Feira, 20 de Dezembro de 2018, 09h:58

OPERAÇÃO SANGRIA 2

Suspeita de dar fuga a Flávio Taques depôs na CPI da Saúde

A servidora comissionada foi nomeada em julho de 2017

Jô Navarro

Reprodução

A atual diretora de Logística e Suprimentos do Centro de Distribuição de Medicamentos (CDMIC), Luciana Franco Marcelo Carvalho, depôs na CPI da Saúde na Câmara Municipal em setembro. Ela confirmou em seu depoimento que, devido à urgência de aquisição de medicamentos e insumos, o órgão descumpre os protocolos e tabelas SUS para ações de cotação, pregão e licitação, controle e monitoramento. O foragido Flavio Alexandre Taques também prestou depoimento à CPI da Saúde (assista ao final).

A diretora voltou ao noticiário esta semana, suspeita de ter ajudado na fuga do ex-secretário-adjunto de Gestão, Flávio Taques, alvo de mandado de prisão na operação Sangria 2. Câmeras de segurança flagaram um Prisma branco no condomínio onde estava Flávio. O carro entrou pela garagem e o ex-secretário embarcou nele cinco minutos antes da chegada da polícia. Na churrasqueira do apartamento os policiais encontraram papeis queimados, provavelmente documentos destruídos pelo ex-secretário.

A dona do carro foi identificada, trata-se de  Luciana Franco Marcelo Carvalho. Por meio de nota a prefeitura de Cuiabá informou que abriu um Procedimento Administrativo (PAD) para "escutar a servidora e apurar os acontecimentos".

O Caldeirão News apurou que Luciana Franco ingressou na secretaria de Saúde em julho de 2017 no cargo de Técnico Nível Superior (contratado) na Diretoria Administrativo Financeira. Em novembro do mesmo ano foi promovida ao cargo comissionado na função de COORDENADOR ESPECIAL na REDE ASSISTENCIAL DE FARMÁCIA. Em março de 2018 passou para a função de DIRETOR TECNICO - DAS 3 na SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE-EXECUÇÃO PROGRAMÁTICA-DIRETORIA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS, onde se encontra até a presente data. As informações constam no portal da Transparência da Prefeitura de Cuiabá.

Veja abaixo íntegra da nota

"Após as notícias veiculadas na mídia de que uma servidora de carreira da Secretaria Municipal de Saúde teria dado cobertura para a fuga do ex servidor Flavio Taques, alvo de mandado de prisão da ‘Operação Sangria 2’, deflagrada na última terça-feira (18), o secretário municipal de Saúde Luiz Antonio Possas de Carvalho abriu um PAD - Processo Administrativo Disciplinar para escutar a servidora e apurar os acontecimentos."

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO