Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018

Cidades
Segunda-Feira, 23 de Abril de 2018, 06h:59

INFLUENZA

Começa a vacinação contra influenza

A vacina previne contra três tipos de influenza: influenza A H1N1, influenza A H3N2 e Influenza B.

Reprodução

Em Cuiabá, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) dá início a Campanha Nacional de Vacinação contra influenza nesta segunda-feira (23) e segue até 1º de junho.

Segundo o Ministério da Saúde a vacina previne contra três tipos de influenza: influenza A H1N1, influenza A H3N2 e Influenza B. A Capital seguirá a estratégia usada em todo o país que pretende imunizar 90% dos grupos tidos como prioritários e de risco onde estão inseridos os idosos, gestantes, crianças com idades entre seis meses e 05 anos, trabalhadores da saúde, professores, povos indígenas, puérperas (mulheres cujo parto ocorreu há até 45 dias) adolescentes e adultos privados de liberdade. A definição do público alvo segue critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e de estudos epidemiológicos.

De acordo com o diretor da Vigilância em Saúde de Cuiabá, Oscar Fernandes de Campos, foram disponibilizadas 51 mil doses à Capital provenientes do primeiro de sete repasses que o Estado fará aos municípios ao longo da Campanha. Segundo ele, toda a rede de Atenção Básica do município está abastecida com as doses. “O Estado entregou o primeiro lote de doses, e na última sexta-feira (20) abastecemos todos os Centros de Saúde e unidades do Programa Saúde da Família (PSF) do município. Estamos preparados para receber os grupos prioritários e proporcionarmos mais saúde para a população cuiabana”, informou Oscar.

Os que se enquadrarem no grupo prioritário, poderão buscar a imunização em uma das 63 salas de vacinação, e mais três da zona rural, sendo uma em Nossa Senhora da Guia, outra no Rio dos Peixes e a última no Aguaçú. Conforme explicou a coordenadora de Programas Estratégicos de Cuiabá, as salas de vacina estão inseridas nas 92 unidades básicas de saúde. “Existem diversas unidades físicas que possuem de duas a três Equipes de Saúde da Família (ESF), mas não há necessidade de ter três salas de vacinas porque uma já contempla todas. Dessa forma, exceto por alguma peculiaridade do local toda a rede básica de saúde está apta a receber e realizar a imunização contra a influenza”, frisou.

Várzea Grande recebeu 21 mil doses que começam a serem aplicadas nesta segunda-feira ao grupo prioritário. Ente os dias 23 de abril a 12 de maio serão imunizadas crianças entre 6 meses e 5 anos, maiores de 60 anos, trabalhadores da saúde, professores, pessoas privadas de liberdade, com necessidades especiais, gestantes, mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias e indígenas.

Várzea Grande já registra sete casos suspeitos de H1N1 somente este ano, todos estão sob investigação. A ação de prevenção está sendo desenvolvida pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio do departamento de vigilância epidemiológica que intensificou os trabalhos no controle do vírus e monitoramento dos casos.

De acordo com as orientações da gerente da Vigilância Epidemiológica, Relva Cristina de Moura, a pessoa que apresentar sintomas, como febre alta, dores intensas de cabeça e no corpo e tosse por mais de três dias, devem procurar a unidade de saúde mais próxima. "Nossos profissionais de saúde de todos os PSFs (Programa Saúde da Família) e também das Policlínicas receberam capacitação sobre o vírus. Então toda e qualquer pessoas que estiver com esses sintomas devem ir a uma unidade de saúde, para tratamento", afirma.

Os postos de vacinação são as 19 unidades da Saúde do município entre elas as Policlínicas e Programa Saúde da Família (PSFs). Lembrando a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Relva de Moura, que a vacina nesta primeira etapa são só para os grupos classificados pelo Ministério da Saúde como prioritários.

Contraindicação
A imunização é contraindicada para pessoa com alergia a ovo, que devem procurar o médico para orientações. A reação em geral ocorre com dor no local da injeção, sem provocar efeitos colaterais maiores. De acordo com o Ministério da Saúde, não há risco de fazer a vacinação contra e a febre amarela e Influenza.(Com informações do Ministério da Saúde e Agência Brasil)

Sintomas
A transmissão dos vírus influenza se dá por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

A população deve adotar cuidados simples para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO